Tipos de manutenção

- por Security

30 de Março de 2022

Dentro de uma empresa como a Security há outras preocupações que vão além da realização dos trabalhos diários de segurança e facilities. Para todas as operações serem desempenhadas com tranquilidade e proteção, a manutenção é parte primordial do cotidiano.

Veículos, uniformes, munições e armamentos, equipamentos dos mais diversos, EPIs, ferramentas e até os produtos utilizados estão inseridos em uma rotina de vistorias e manutenções. Mas como saber qual o procedimento mais adequado para cada item? Existem três tipos de manutenção: corretiva, preventiva e preditiva. Confira abaixo como elas se apresentam e o seu melhor uso!

Manutenção Corretiva

Ela representa o conserto em si e é realizada quando alguma peça ou equipamento para de funcionar ou está apresentando mau funcionamento. Nesse caso um técnico será chamado presencialmente ou a peça será levada ao local de vistoria para restauração.

É o tipo de manutenção que deve ser evitada, já que pode representar algum tipo de prejuízo nas operações, seja por equipamento inoperante ou por gastos extras quando necessário. No dia a dia, o foco principal será nas manutenções preventiva e preditiva.

Manutenção Preventiva

Programada para ser realizada periodicamente com o objetivo de evitar a inoperância do equipamento em questão. Muito comum em veículos, câmeras, controles de acesso e armamentos, por exemplo, já que são itens com os quais existem parâmetros de segurança para designar, por exemplo a quilometragem, no caso dos veículos e equipamentos de combate a incêndios, como as mangueiras.

Manutenção Preditiva

Também é realizada antes de o problema acontecer, porém, diferentemente da anterior, a manutenção preditiva se baseia na identificação de desgastes ou problemas fora do previsto. Conversamos com o CMO Erasmo Prioste sobre o tema. “A manutenção preditiva não é uma prevenção fácil de determinar, como em um veículo. Variação de temperatura, localização geográfica, velocidade e intensidade de uso são variáveis… em algumas peças, vale a pena investir em medição para saber como está sendo o desgaste, que não é tão previsível assim. Isso leva a determinar uma manutenção a partir dos sinais indicados”, comentou.

Ou seja, a manutenção preditiva normalmente realiza intervenções após a identificação de um comportamento anormal. Os indicadores de performance levam a programar manutenções extras ou específicas de acordo com o desempenho dos objetos avaliados.

Os uniformes são bons exemplos de elementos que se beneficiam deste tipo de manutenção. Eles representam um custo considerável num posto de trabalho. Como há vigilantes que trabalham em locais expostos ao tempo, seus uniformes ficam mais sujeitos a variações e desgastes. Há um tempo de troca padrão, mas é importante observar caso haja necessidade de antecipar.

Em geral, o preditivo está ligado ao que usamos diariamente ou com frequência, tornando possível identificar os desgastes. Depois de muito tempo, porém, costuma ser mais vantajoso trocar o produto, já que as manutenções se tornam caras, especialmente com o custo cumulativo.

Tanto a manutenção preventiva quanto a preditiva têm como objetivo antecipar eventuais problemas que possam acontecer, diagnosticando e substituindo componentes que apresentem diminuição em sua eficiência. Dessa forma, a vida útil das peças é alongada, o que representa economia no custo total de propriedade e ainda diminui os riscos de acidentes e quebras.

Comentários

Posts mais lidos

Processos Seletivos pós-pandemia

Entenda a diferença entre os processos seletivos tradicionais e os que contam com automatização e digitalização de etapas, que vêm se tornando cada vez mais comuns no ambiente corporativo.

leia mais »