A Importância das Vias de Comunicação para os Sistemas de Alarme

Equipamentos de Segurança Eletrônica - por Security

17 de Julho de 2013

 

Com os avanços tecnológicos, redução dos custos e aumento na qualidade tem-se atualmente maior facilidade para aquisição de equipamentos de segurança. Podemos observar, cada vez mais, investimentos em segurança particular sendo feitos em todas as classes da sociedade, pessoas física e jurídica. Por menor que seja um estabelecimento comercial ou residencial, podemos verificar a presença de vários tipos de alarmes ou câmeras de videomonitoramento de variadas tecnologias.

Para aqueles que possuem serviço de monitoramento 24hs em sua empresa ou residência é importante observar a efetividade da comunicação entre a central de alarme e a central da prestadora de serviços de monitoramento. É de extrema importância a comunicação entre os dois dispositivos, pois se a via for corrompida não haverá monitoramento.
Havendo problemas no funcionamento da linha, eventos de disparo de alarme não serão recepcionados pela central 24hs. Para que isso não aconteça seriam ideais pelo menos duas vias de comunicação, que não dependam uma da outra, pois, havendo problemas com uma via, a outra garantirá que o monitoramento não seja interrompido.

 

cta_horizontal_home_Security_terceirizar

As principais vias de comunicação são: linha telefônica, GPRS e rádio. As vias funcionam da seguinte forma:

Telefone: a comunicação ocorre pela linha física, instalada na residência ou comércio. É o meio mais utilizado.

GPRS: O módulo GPRS, através de um CHIP, entra na rede da operadora celular GSM, via canal de dados (GPRS) e através dele estabelece uma conexão com o software de monitoramento, criando assim um canal de comunicação ONLINE entre o cliente monitorado e a empresa de monitoramento de alarmes, possibilitando a transmissão imediata de todos os eventos gerados pelo painel de alarmes no protocolo CONTACT-ID. Todas as informações transmitidas pelo módulo GPRS são duplamente criptografadas, garantindo a máxima confidencialidade das mesmas. Neste caso, o GPRS funciona como primeira via de comunicação, ficando a linha telefônica como segunda opção em caso de falha do primeiro ou mesmo na ausência de sinal da operadora de telefonia celular.

Rádio: Ao contrário do GPRS, o rádio funciona como segunda via de comunicação do alarme, sendo a linha telefônica a primeira via.
Em caso de ausência da linha telefônica, o rádio comunica à central de monitoramento, e passa a transmitir todos os eventos gerados pelo painel de alarme através de ondas de rádio. Como vantagens deste sistema têm a rapidez da comunicação e o fato de não gerar despesas com a assinatura do CHIP. Mas em contrapartida, alguns locais não terão alcance das ondas, ficando impossibilitadas de receberem o sinal.

Com as inovações tecnológicas, muitas centrais já vêm de fábrica com saída para telefone, internet e GPRS integrados, eliminando a necessidade de aquisição de acessórios. Centrais mais antigas, geralmente serão necessários equipamentos extras, para o funcionamento de mais vias de comunicação.

Para aqueles que possuem centrais de alarme, residenciais ou comerciais, é importante verificar seu tempo de uso, pois sofrem desgaste pelo uso ininterrupto e com o decorrer do tempo podem apresentar problemas que venham a comprometer seu funcionamento.

Comentários

Posts mais lidos