Para sobreviver em um mercado tão instável, diversas empresas prezam pela diminuição de custo com uso da tecnologia. Quando se trata de segurança patrimonial e pessoal, a tomada de decisões é um grande desafio, uma vez que é colocada em cheque a relação de análises financeiras e impacto de custo x benefício com tecnologias novas.

Arriscar ou diminuir o fator segurança não é algo simples tanto para o empreendedor quanto para os colaboradores. Isso porque trabalhar e conviver com a sensação de insegurança é um processo bastante complexo e que atrapalha a produtividade da corporação.

Mas, isso não significa que é impossível a diminuição de custo com uso da tecnologia. Por exemplo, algumas empresas que contam com serviço de portaria ou vigilância 24 horas estão optando em deixar os serviços dos profissionais apenas durante o dia. Principalmente no ambiente corporativo, onde o movimento de pessoas, de documentos e de mercadorias é maior. Assim, os equipamentos tecnológicos de segurança eletrônica (alarmes, câmeras e monitoramento de imagens) cuidam do período noturno.

Com a evolução tecnológica, tivemos um advento na criação dos dispositivos de segurança, tornando-os cada vez mais práticos e eficientes. E com um sistema de monitoramento em tempo integral que pode ser acessado de qualquer lugar através dos smartphones.

A gestão de segurança é de extrema importância. Pois além de prevenir perdas, com ela, é possível coletar dados importantes e, posteriormente, criar uma margem realista sobre as mercadorias que são roubadas, danificadas ou faltam no estoque. Ou seja, qualquer tipo de prejuízo relacionado à sua solução.

Analisando esta margem, a gestão consegue identificar os pontos críticos e, dessa forma, apontar estratégias efetivas com o uso de dispositivos eletrônicos de segurança. Assim, em pouco tempo, o investimento passa a dar retorno e ganhar mais controle com tecnologia.

Onde as tecnologias novas podem lhe ajudar?

Para que você saiba como ganhar mais controle com tecnologia, confira os 6 dispositivos de fácil acesso que podem contribuir com a segurança patrimonial do seu negócio:

1) Alarmes

Quando se pensa em monitoramento, a primeira coisa que vem à mente são os alarmes. Porém, não se trata apenas de botões e sirenes! O funcionamento deles depende de um série de outras tecnologias novas e integradas que, através do disparo sonoro, atrapalha a ação dos criminosos por evidenciar de forma chamativa que algo errado está acontecendo. 

Nesses mecanismos, múltiplos sensores são instalados nas janelas, portas e demais zonas críticas que, quando ativados, enviam um sinal para a central de monitoramento.

2) Câmeras de monitoramento

Além de inibir possíveis delitos, as câmeras de monitoramento são equipamentos ideais à segurança corporativa. Mesmo sendo um recurso já antigo, as câmeras se modernizaram, facilitando assim o acesso às imagens e tornando o processo rápido e efetivo. Dessa forma, se economiza muito! Pois vários problemas podem ser solucionados a distância. Hoje em dia, é possível fazer o monitoramento em tempo real de qualquer lugar, através da Internet.

3) Controle na palma da mão

Os alarmes e as câmeras podem ser integrados com smartphones dos responsáveis pela gestão de segurança. Caso ocorra algo suspeito, a pessoa será avisada imediatamente. É possível visualizar o ocorrido na tela do celular ao vivo.

4) Botão de pânico

O botão de pânico é um dispositivo que funciona 24 horas. Assim que algum colaborador aciona o botão de pânico, ele comunica de forma silenciosa à empresa responsável pela segurança patrimonial. Ele pode ser instalado em pontos estratégicos como as portarias, os controles utilizados pelos profissionais envolvidos e também onde ocorre fluxo de dinheiro - a exemplo de caixas, cofres etc.

5) Cerca elétrica

A cerca elétrica é um dos equipamentos mais comuns quando se refere às tecnologias de segurança patrimonial. Ela não é apenas uma barreira física, mas também psicológica, em função da ameaça de uma possível descarga elétrica. Deve ser instalada por empresas especializadas e receber manutenção preventiva. É possível ainda integrar monitoramento eletrônico à cerca elétrica: quando tocada além da descarga, um alarme sonoro é disparado e a central de segurança é informada.

Há também o cercamento infravermelho, que torna a cerca invisível e mantém o controle de invasão através de sensores, os quais identificam movimento.

6) Acesso por biometria

Os colaboradores têm as suas digitais cadastradas e leitores são instalados em pontos de acesso crítico para controlar a entrada e a saída de pessoas, permitindo acesso apenas aos profissionais autorizados. Também é possível integrar um acionamento de alarme, o qual um colaborador em situação de risco pode acioná-lo, como se fosse um botão de pânico, e a central é informada.

Com o objetivo de transparecer ao empresário os riscos e os perigos que seus patrimônios estão expostos, e assim prevê-los da melhor maneira possível, tecnologias de segurança patrimonial se atualizaram. O que antes costumava ser visto na relação entre as análises financeiras e impacto de custo x benefício com tecnologias novas, hoje, possibilita ao gestor administrar e evitar problemas que trariam prejuízos, evitando gastos inesperados.

Gostou deste artigo? Siga nosso blog e fique por dentro das novidades sobre as principais tecnologias de segurança patrimonial.

 downlo