A falta de segurança em nosso país se encontra atualmente em um nível bastante elevado, quando comparado a outros países. Quem nos afirma isso é uma apuração feita pelo Índice de Progresso Social (IPS) em 2018. Dentro desta avaliação, estão relacionadas inúmeras variáveis como segurança pública, criminalidade, mortes no trânsito, acidentes de trabalho etc. Por consequência disso, a procura das corporações pelas novidades em segurança, além da vigilância eletrônica e das tecnologias antipânico, como os beacons, aumenta significativamente.

A busca atual por tecnologia é um fator bem óbvio, pois ela proporciona a melhor eficiência dos processos dentro das empresas, permitindo vantagens que jamais existiriam sem a sua integração. Assim, o uso de dispositivos tecnológicos de segurança e vigilância eletrônica oportunizam a prevenção de riscos e sinistros que, anteriormente, só eram imaginados em filmes de ficção científica - a exemplo dos beacons.

Desta forma, a aplicação da tecnologia em segurança patrimonial, junto aos seus avanços eletrônicos, faz com que as pessoas se sintam mais seguras. Aumentando a garantia e o bem estar dos seus colaboradores, enquanto facilita o trabalho da equipe de vigilantes na efetivação de suas atividades diárias e em casos de sinistros.

Neste post, falaremos sobre as novidades em segurança antipânico, como ela funciona e de que forma pode ajudar no dia a dia operacional: os beacons.

Afinal, de que se trata exatamente os beacons?

A tradução literal de beacon, em português, é “farol”. E, realmente, os beacons funcionam como um. Este é um minúsculo dispositivo que emite sinais usando a tecnologia bluetooth 4.0 (low energy). Os sinais são captados por smartphones e tablets através de aplicativos específicos.

Desta maneira, são usados como gatilhos que podem ser interpretados para diversas ações na plataforma. Pode ser um alerta, uma notificação, um aviso ou até, em alguns casos, a interação direta com os órgãos de segurança pública.

Fisicamente, eles são equipamentos pequenos, os quais podem ser anexados a bancadas e paredes estratégicas. Usados para se comunicar com os colaboradores no momento em que estes passam dentro do alcance do dispositivo.

Funcionalidades dos beacons no meio corporativo

Os beacons atuam da seguinte forma: o dispositivo móvel entra no alcance; o smartphone ou tablet detecta o sinal emitido por ele e lê a sua ID, calcula a distância e, com base nos dados emitidos; este aciona diretamente uma mensagem ou ação a outro dispositivo móvel que possua o aplicativo, informando o ocorrido.

Ou seja, dentro das corporações, os beacons têm o poder de revolucionar a comunicação interna e toda a cultura organizacional, já que podem ser usados para enviar lembretes, notificações e outras possíveis mensagens de forma rápida a todos os profissionais.

Os beacons, quando integrados a um sistema de segurança patrimonial, podem facilmente controlar os acessos de toda a corporação. Pois, com eles, é possível parametrizar todas as vias de acesso para serem bloqueadas e desbloqueadas de maneira automática, caso seja necessário. Portanto, se conectados a termostatos e sensores, são capazes de monitorar a temperatura de ambientes específicos que, casos oscilem, uma notificação é enviada.

Usando este mesmo recurso, também é possível ser notificado em relação à fumaça ou ao fogo e quais os ambientes que estão sendo atingidos. Integrado a sensores de movimento e câmeras de vigilância, há como detectar a presença de intrusos em locais não permitidos.

Existem ainda algumas aplicações baseadas na análise dos padrões de comportamento do usuário. Isso significa os horários específicos que podem ter pessoas em certas áreas, qual o número comum de indivíduos em determinados locais, quem deveria estar em tal lugar.

Podem também ser usados para ligar e desligar lâmpadas, ar condicionados, computadores etc. Melhorando a experiência e proporcionando segurança ao usuário.

Como os beacons melhoram o trabalho dos vigilantes e a segurança patrimonial?

Vamos imaginar que você é um(a) vigilante e possui, em suas mão, um smartphone com o aplicativo que informa sobre todos os acontecimentos em tempo real. Porém, ele não está de acordo com os padrões de segurança e nem faz parte de uma cultura organizacional da empresa em que trabalha. Imagine o quanto isso pode te ajudar!

O vigilante estará sempre um passo à frente de qualquer situação de risco, possibilitando-o de aplicar suas funções em outras áreas que são menos monitoradas. Em caso de acidente e/ou incêndio, portas, catracas e portões podem ser bloqueados ou desbloqueados, além de saídas de emergência e vias de evacuação receberem liberação automática.

Quando, integradas com sistemas de telefonia, podem acionar o Corpo de Bombeiros ou a Polícia. Desta maneira, proporciona o mínimo possível de interrupções e perdas em casos de sinistros, garantindo a eficácia dos processos de desenvolvimento da corporação.

Com a ajuda de uma empresa de segurança patrimonial especializada, todos os pontos e as áreas de risco serão avaliados. Assim, um planejamento será efetuado e, posteriormente, haverá a instalação de equipamentos, a aplicação do sistema e o treinamento de pessoal.

Security_CTA_InfoMonitoramento-03

E aí, gostou de conhecer estas novidades em segurança que colaboram com a vigilância eletrônica nas corporações? Continue navegando pelo blog da Security e veja outras maneiras de garantir a segurança da sua empresa!