Segurança patrimonial: como a tecnologia impacta a vigilância no agronegócio

- por Security

8 de Julho de 2021

Devido à violência urbana já ter chegado ao campo, empresas do agro vem investindo em parcerias com empresas de vigilância patrimonial, em busca de soluções de proteção ágeis, confiáveis e que possam aumentar efetivamente o nível de segurança de grandes propriedades rurais.

Em recente reportagem publicada no portal Notícias Agrícolas, o especialista em segurança no campo, Carlos Zumerle, e o fundador do movimento O Agro não Para, Marco Ripoli, falaram sobre como as áreas rurais são alvos de furtos, roubos e invasões – por consequência de estarem longe dos centros urbanos - e como as propriedades precisam tratar a segurança.

De acordo com os entrevistados, esses crimes nunca foram devidamente compilados e acabam perdidos em base de dados gerais das instituições de segurança pública, daí a necessidade de se ter números mais embasados sobre a criminalidade no campo.

 

 Tecnologia a favor da segurança no agronegócio


“Nesse sentido, o melhor caminho para os proprietários rurais é aliar a competência humana em proteção preventiva aos melhores recursos tecnológicos e os drones são um bom exemplo dessa união”, destaca o Chief Marketing Officer (CMO) da Security, Erasmo Prioste, que associa o atual crescimento do uso desses equipamentos no campo a fatores como rapidez nas rondas, informações precisas e em tempo real e poder de cobertura de grandes áreas, que facilitam a tomada de decisão com mais agilidade, tudo somado à maior facilidade de operação e queda nos preços dos equipamentos. “Seu uso não está restrito apenas às questões de segurança, mas também da própria operação agrícola”, completa Erasmo.


Patrulhamento aéreo: benefícios dos drones

 

O CMO explica também que os drones trazem economia no patrulhamento de rotina e otimizam os deslocamentos físicos apenas para casos de emergência e necessidade de intervenção humana. Os drones funcionam como um detector de fumaça e a equipe de segurança, através de um bom plano de trabalho, desloca-se quando e para onde estiver “pegando fogo”, ainda em tempo de evitar maiores problemas, já de posse de informações obtidas pelo drone, podendo definir as ações que serão tomadas in loco enquanto se desloca. “Do ponto de vista de pronta-resposta, há um ganho significativo de qualidade na performance, além do que, as imagens captadas por drones podem ser enviadas também para uma central de monitoramento à distância, que ajudará a equipe de vigilantes responsável pelas intervenções no local”.

 

Diferenciais Security para aplicação de drones no agro

Os drones estão representando uma revolução na forma de captar informações para tomada de decisões. Além de rondas preventivas, que podem ser feitas inclusive com câmeras térmicas (que podem auxiliar na detecção de queimadas/incêndios ou invasores, por exemplo), [BdL1] [DM2] [DM3] os drones podem ser usados para monitorar as lavouras, criação de animais, integridade perimetral, deslocamento de grandes máquinas em solo, etc.

Como cada propriedade conta com uma demanda diferente de segurança patrimonial, a Security faz uma avaliação minuciosa das necessidades de cada local. “Isso é necessário para determinar a aplicabilidade e a escolha do melhor modelo, por exemplo, evitando-se o desperdício de recursos”, conta o CMO da Security.

Confira a reportagem sobre Segurança no Agronegócio - Pesquisa digital tem como objetivo mapear os principais riscos para a segurança no campo  veiculada no portal Notícias Agrícolas  

Saiba mais sobre o uso de drones na vigilância patrimonial:
Drones e Segurança Patrimonial: você ainda tem dúvidas? 
Eficiência nas alturas: drones autônomos promovem rondas aéreas com precisão e rapidez 

COMENTÁRIOS

Posts mais lidos