Security ganha sala no Centro de Tecnologia da FIPP/Unoeste

expansão - por Security

5 de Novembro de 2021

A FIPP/Unoeste - Faculdade de Informática de Presidente Prudente inaugurou ontem, 4/11, o Projeto Talentos, um novo programa com salas de desenvolvimento, e a Security foi convidada para a parceria, abrindo a Sala Sandro De Luca. Pensada durante a pandemia, a iniciativa convidou empresas para elaborar projetos com os alunos dentro da faculdade. 

Emerson Doria, o responsável pelo programa, comentou sobre a motivação por trás da ideia. “A pandemia trouxe uma nova realidade para todo o segmento educacional, mas para a área de informática foi realmente uma revolução, tirou todas as barreiras físicas.”

A Faculdade de Informática ensina há 34 anos e hoje existem nove ofertas de cursos na área de tecnologia. Há tempos não consegue mais suprir as demandas do mercado, pois são criadas mais vagas do que alunos. A sala apresenta a possibilidade de alunos trabalharem lado a lado com a empresa e conhecerem a cultura da Security durante aquele período, já adquirindo experiência e trabalhando em algo prático. 

 

Alunos poderão conhecer a empresa em projetos dentro da faculdade

“A ideia já gerou um impacto bastante positivo para a nossa comunidade. Desde antes da inauguração, os alunos querem se inscrever, passam na frente da sala e ficam curiosos, têm interesse”, disse Emerson.

As salas comportam até 5 alunos. A empresa tem a cessão do espaço, que pode gerir durante 12 meses. Durante esse tempo, estabelece o período que quer ficar com cada aluno, tendo facilidade de troca caso não dê certo. 

O Gerente de Tecnologia da Informação da Security, Glauco Ruiz, está animado para dar início ao ano, já que também dá aulas na faculdade e estará envolvido com as atividades da sala. Entre as empresas envolvidas, a Security é o único caso que pode ter projetos de pesquisa, como iniciação científica, e já está nos planos um laboratório de microeletrônica. 

 

A chance de recrutar pessoas que já conheçam os valores da empresa

O diretor de TI da Security, Carlos Eduardo Varani, ficou muito feliz com a parceria e ressaltou a relevância nacional da FIPP/Unoeste, além de falar sobre as mudanças na dinâmica de contratação. “Hoje, com o trabalho remoto, o profissional pode ser recrutado por empresas do mundo inteiro, mas a nova geração dá bastante importância a valores como propósito e qualidade de vida. Formando o aluno como profissional dentro da nossa cultura, ele tem a chance de entender nosso sistema, os nossos 42 anos de história e se identificar com os valores da empresa”. 

O mercado de tecnologia da informação vem numa crescente há mais de uma década e não mostra sinais de diminuir o ritmo. Glauco falou sobre como esse segmento não é tão procurado como poderia. “Como estou dos dois lados (faculdade e empresa), consigo ter uma visão bem ampla. Temos alunos espalhados no país inteiro. E o EAD permite que essa estrutura seja ainda maior. O Brasil tem 14 milhões de desempregados, mas a FIPP poderia ter muito mais alunos. E as vagas de TI não estão sendo preenchidas. 

De fato, de acordo com a Brasscom, de janeiro a agosto de 2021, foram abertas 147 mil vagas, um aumento de quase 150% em relação ao total de postos criados na área durante todo o ano de 2020. A estimativa é que até 2024 o Brasil necessite de mais 420 mil profissionais de TI. “Quem pensa junto, cresce junto. Estudantes, profissionais, empresários, escolas, faculdades. Com o setor tão aquecido, a união em investimentos em capacitação e educação pode ser a oportunidade que todos precisam”, finaliza Carlos Eduardo.

Comentários

Posts mais lidos