Não é possível prever condições adversas, mas é possível se preparar e garantir que seu patrimônio e seus funcionários estejam protegidos caso aconteçam. Segurança deve ser assunto prioritário na pauta de qualquer empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte.

Para isso, não basta ter bons profissionais e alguns equipamentos modernos. É preciso estabelecer uma série de procedimentos de proteção e acompanhar a rotina de segurança, controle de acesso, rondas, atestando que tudo esteja sempre em ordem.

Essa gestão é um dos motivos pelos quais um fornecedor terceirizado, que ofereça um bom plano de segurança patrimonial, é essencial.

Se você ainda não utiliza esse tipo de serviço, ou mesmo se tem dúvidas sobre a eficácia da terceirização da segurança patrimonial, confira aqui um checklist da avaliação de possíveis ameaças em sua empresa e descubra se você está realmente protegido:

- O primeiro passo é realizar uma análise de risco, acompanhada por um especialista. Assim como em auditorias internas, onde um auditor verifica toda a estrutura financeira e contábil de uma empresa, na análise de segurança, um profissional irá avaliar a vulnerabilidade e potencial de risco da organização.

- Proteções como cercas, alarmes, câmeras e outros sistemas elétricos também entram na observação. Se sua empresa ainda não tem esses dispositivos, sua necessidade será analisada. Se ela já os possui, haverá um estudo de eficiência para entender se estão bem posicionados e como estão sendo controlados.

- Esse especialista irá dimensionar a necessidade de seu negócio para cada tipo de serviço que uma empresa de segurança patrimonial pode oferecer. As necessidades vão variar muito de acordo com seu porte e área de atuação.

- A primeira avaliação será periférica, ou seja, serão analisadas todas as ‘barreiras’ que uma pessoa enfrenta ao entrar em sua empresa, como controles de acessos, catracas e recepções. Se esses procedimentos ainda não forem informatizados, a possibilidade de modernização será levada em consideração.

- Os processos de entrada também serão estudados para elencar melhorias. As normas de entrada, como documentação exigida e monitoramento são muito relevantes quando se avalia a exposição da empresa a terceiros.

- Caso sua empresa já tenha um prestador de serviços na área de segurança, os controles de acesso, gerenciamento de portaria e equipamentos usados também passarão por análise.

Conheça as vantagens de terceirizar a segurança de sua empresa

De forma geral, os casos de furtos e roubos são causados pela atratividade do negócio. E esse apelo pode não depender de seu tamanho, mas sim de seu segmento de atuação. Empresas que manuseiam produtos visados, como lojas de equipamentos eletrônicos, ou que operam com maquinários caros, como indústrias, devem sempre ter segurança reforçada.

Por outro lado, até mesmo empresas de serviços e escritórios em geral também estão suscetíveis, mesmo que em menor escala. Na Câmara dos Deputados, por exemplo, pequenos objetos como torneiras e outros utensílios eram roubados com frequência, até o momento em que se tornou obrigatória a apresentação de nome e RG na entrada do prédio.

Mesmo no caso de pequenos furtos, que podem não representar uma perda significativa para a empresa isoladamente, podem representar um grande prejuízo quando vistos de um ponto de vista mais abrangente.

A ideia da segurança patrimonial é causar impacto, dificultar o acesso e inibir a ação de pessoas mal-intencionadas. Por isso, se você tem dúvidas sobre a segurança de sua empresa, procure um fornecedor especializado, que poderá esclarecê-las e ajudar a tornar seu patrimônio a prova de riscos.